Artigos e Publicações

Organizações da sociedade civil persistem apesar da crise

Organizações da sociedade civil persistem apesar da crise

Publicado em 7 de janeiro de 2020

Importância do Terceiro Setor para a economia e a sociedade indica necessidade de profissionalização e busca por novas fontes de recursos

Pesquisas recentes mostram oscilação no número de organizações sem fins lucrativos no Brasil na última década, um fato marcante se pensarmos na importância que o trabalho de assistência social tem para grande parte da população no país.

De acordo com dados da Secretaria da Receita Federal e RAIS/TEM, elaborados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o Brasil tem hoje 820.455 Organizações da Sociedade Civil (OSCs). No Paraná, o número é de 52.854 entidades. Os dados podem ser consultados no Mapa das Organizações da Sociedade Civil (https://mapaosc.ipea.gov.br).

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada em abril mostra o efeito da crise econômica sobre as organizações da sociedade civil (OSCs, anteriormente denominadas ONGs) e outras entidades sem fins lucrativos no país. O estudo “IBGE Fundações Privadas e Associações sem Fins Lucrativos” dá conta de que, entre 2013 e 2016, o número de organizações brasileiras caiu 14%, atingindo principalmente as regiões Nordeste e Sudeste. Os locais desativados, em grande parte, prestavam serviços gratuitos ou a preços reduzidos para a população de baixa renda.

A queda no número de entidades de assistência social pode ser relacionada à redução no repasse de recursos públicos federais transferidos a elas desde 2010. No plano nacional, foram repassados a OSCs, em 2010, R$ 11,4 bilhões, enquanto em 2017 esse valor caiu para R$ 6,3 bilhões (os dados são do Senado Federal e referem-se aos valores executados e corrigidos para preços de janeiro de 2018 pelo IPCA/IBGE).

“A redução de repasses vem ocorrendo em várias esferas do poder público ao longo dos últimos anos”, destaca a coordenadora do Departamento de Assuntos Culturais e Terceiro Setor da ABA, Marcella Souza.

Por outro lado, ela salienta que o aumento no número de empregos gerados pelo terceiro setor denota que, mesmo com pouco investimento público, trata-se de uma área que está se solidificando e estruturando. De 2010 a 2016, de acordo com o IBGE, o número de pessoas ocupadas nas instituições sem fins lucrativos aumentou 11,7%, somando 2,3 milhões de assalariados. As que mais empregam estão nas áreas de saúde (25,5%), religião (23,9%) e de desenvolvimento e defesa de direitos (11,4%).

“A profissionalização é fundamental para encontrar outras fontes de recursos e potencializar as ações realizadas”, explica a advogada. Na ABA, o Departamento de Assuntos Culturais e Terceiro Setor está constantemente buscando as melhores alternativas para as instituições que assessora, em conformidade com o cenário legal brasileiro. Um exemplo é o Instituto de Apoio à Orquestra Sinfônica do Paraná, presidido pelo sócio-fundador da ABA Wilson J. Andersen Ballão. Desde sua criação, em 2016, a entidade realiza concertos que objetivam democratizar o acesso à arte.

Liberdade

Além da redução de recursos, é preciso citar o cerceamento à liberdade das organizações no atual governo. Um exemplo foi a primeira medida provisória assinada pela nova administração, ainda em janeiro. A MP 870 coloca as Organizações da Sociedade Civil (OSCs) sob supervisão e controle da Secretaria de Governo, o que representa um risco à democracia e ao artigo 5º da Constituição, que prevê a “plena liberdade de associação para fins lícitos” e que sua criação “independe de autorização, sendo vedada a interferência estatal em seu funcionamento”. A medida foi alvo de nota de repúdio da Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais.

Matérias Relacionadas

Prorrogação de envio da Declaração de Imposto de Renda  traz alívio aos contribuintes

Prorrogação de envio da Declaração de Imposto de Renda traz…

Saiba também como doar sua restituição pelo Imposto Solidário a fundos cadastrados Com as dificuldades trazidas pela pandemia da covid-19, a Receita Federal adiou a…

Leia mais
Serviços aduaneiros estão no DNA da Andersen Ballão  Advocacia

Serviços aduaneiros estão no DNA da Andersen Ballão Advocacia

Escritório oferece assessoria multidisciplinar para prover soluções ágeis e completas no comércio exterior Com o crescimento nas vendas internacionais de commodities, estima-se que o Brasil…

Leia mais
IAOSP debate limites entre música universal e regional

IAOSP debate limites entre música universal e regional

Série de gravações de concertos e entrevistas com pensadores culturais repensa a hierarquização cultural presente nas artes O que é melhor, o universal ou o…

Leia mais