Artigos e Publicações

Entrada em vigor da LGPD exige adequação das empresas

Entrada em vigor da LGPD exige adequação das empresas

Publicado em 02/09/2020

Quem ainda não tomou providências deve procurar assessoria para garantir o correto seguimento das novas normas de privacidade

Depois de muitas idas e vindas, no dia 26 de agosto o Senado Federal aprovou projeto de lei que definiu a vigência imediata da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). O projeto aguarda apenas sanção presidencial, tornando urgente a adequação das empresas à nova legislação. Por outro lado, a fiscalização pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados iniciará apenas em agosto de 2021.

“A Lei trata de dados pessoais, relacionados a pessoas físicas e estabelece regras e boas práticas sobre o tratamento desses dados. E um programa de adequação garante a adoção das medidas cabíveis técnicas e operacionais para conformidade”, explica a advogada do Departamento Societário da ABA, Camila Camargo, especialista no tema. 

“Um dado pessoal é um conceito amplo e bastante concreto. Representa informações que podem identificar direta ou indiretamente uma pessoa física, como nome, CPF, RG, dados bancários e até mesmo o endereço IP e dados biométricos”, alerta a advogada.

“As empresas, portanto, precisam ter mecanismos para garantir o atendimento a estes direitos, aos princípios e obrigações estabelecidos na LGPD”, explica Camila.

O que muda na prática?

Na prática, há um novo panorama no que toca a importância da proteção de dados pessoais, independentemente do nível de privacidade e sigilo desses dados. Os titulares de dados pessoais terão mais controle sobre eles, e as empresas que os utilizam terão a obrigação de utilizá-los de forma adequada, somente para finalidades específicas e no mínimo necessário e de acordo com os princípios e bases legais que autorizam o tratamento.

Em geral, é possível dizer que parte das empresas estão se preparando para a nova realidade. “É um processo longo e que pressupõe uma mudança de cultura e mentalidade. Na Europa, que tem a lei em vigor há dois anos, ainda se fala bastante de implementação”, exemplifica Camila.

No webinar realizado pela ABA dia 1º de setembro, foi possível esclarecer dúvidas dos participantes e trazer uma perspectiva mais prática para o tema.

Matérias Relacionadas

Métodos alternativos de resolução de conflito estão no DNA da Andersen Ballão Advocacia

Métodos alternativos de resolução de conflito estão no DNA da…

Negociação, conciliação, mediação e arbitragem são especialidades da banca e prática dos advogados da casa   O Brasil é o quarto país em número de…

Leia mais
Desoneração da folha de pagamento é prorrogada para 17 setores até 2023

Desoneração da folha de pagamento é prorrogada para 17 setores…

Continuidade do benefício, que venceria agora em dezembro, deve receber a sanção presidencial   O fim de ano trouxe um alívio para empresários de 17…

Leia mais
Empresas nacionais e com sede no exterior devem estar atentas à indicação do Beneficiário Final

Empresas nacionais e com sede no exterior devem estar atentas…

Instrução Normativa da Receita Federal indica a necessidade do registro em prazo de 90 a 180 dias da inscrição no CNPJ   É longo o…

Leia mais