Artigos e Publicações

O ISS para plataformas de streaming

O ISS para plataformas de streaming

Publicado em 07/01/2020

Lei que estabelece cobrança de imposto sobre serviços como Netflix e Spotify é considerada polêmica

A cobrança do Imposto Sobre Serviços para plataformas de streaming foi autorizada pelo Planalto em dezembro de 2016 por meio da aprovação da Lei Complementar nº 157. A decisão levantou uma discussão polêmica sobre a constitucionalidade desta tributação para as empresas que trabalham com o chamado fluxo de mídia. Há a interpretação de que este tipo de negócio não se configura como prestação de serviços.

O streaming, ou fluxo de mídia, é a disponibilização de sons e vídeos diretamente pela Internet e sem a necessidade de efetuar downloads. É uma cessão temporária de direito de acesso a conteúdos online. A Lei Complementar nº 157 determina que os municípios que sediam essas empresas tributem, a título de ISS, o valor cobrado dos consumidores, a uma alíquota mínima de 2%.

Neste ponto se encontra o impasse de tal cobrança, de acordo com a advogada do Departamento Tributário da Andersen Ballão, Maria Alice Boscardin. Segundo ela, o artigo 156 da Constituição Federal não permite a tributação de cessão de direitos.

“A prestação de serviços, em sua essência, se caracteriza pela ideia de fazer alguma coisa e não de ceder alguma coisa. As plataformas de streaming não realizam um serviço, somente liberam o acesso a conteúdos que já existem previamente”, defende a advogada.

Maria Alice, que é especialista em tributação empresarial, ainda ressalta: “se há a necessidade de tributar as empresas deste segmento, o correto seria criar uma nova espécie tributária específica para este modelo de negócio”.

A lei sancionada pelo presidente Temer estabelece a tributação do ISS para plataformas de “processamento, armazenamento ou hospegagem de dados, textos, imagens, vídeos, páginas eletrônicas, aplicativos e sistemas de informação”, o que inclui recursos como Google Drive, iCloud, App Store e Google Play – que poderão apresentar elevação de custo a partir de março.

Matérias Relacionadas

Métodos alternativos de resolução de conflito estão no DNA da Andersen Ballão Advocacia

Métodos alternativos de resolução de conflito estão no DNA da…

Negociação, conciliação, mediação e arbitragem são especialidades da banca e prática dos advogados da casa   O Brasil é o quarto país em número de…

Leia mais
Desoneração da folha de pagamento é prorrogada para 17 setores até 2023

Desoneração da folha de pagamento é prorrogada para 17 setores…

Continuidade do benefício, que venceria agora em dezembro, deve receber a sanção presidencial   O fim de ano trouxe um alívio para empresários de 17…

Leia mais
Empresas nacionais e com sede no exterior devem estar atentas à indicação do Beneficiário Final

Empresas nacionais e com sede no exterior devem estar atentas…

Instrução Normativa da Receita Federal indica a necessidade do registro em prazo de 90 a 180 dias da inscrição no CNPJ   É longo o…

Leia mais