Artigos e Publicações

Investimento Social Privado amplia atuação de responsabilidade social das empresas

Investimento Social Privado amplia atuação de responsabilidade social das empresas

Publicado em 02/09/2022

Num país de dimensões continentais e inúmeros desafios para o pleno desenvolvimento, é grande a necessidade de apoio para a viabilização de políticas públicas estatais. Ao mesmo tempo, já é sabido que a responsabilidade social das empresas é uma necessidade. Esse processo tem sido acelerado por meio dos Investimentos Sociais Privados (ISP), iniciativas com potencial de agilizar e dar segurança jurídica à atuação social, no contexto das medidas ESG das empresas (ambientais, sociais e de governança). As áreas mais usuais para sua efetivação incluem Cidades Sustentáveis, Equidade Racial, Mudanças Climáticas, Água, Gestão Pública, Direitos das Mulheres, Migrações e Refugiados e Segurança Pública.

“Estamos falando de uma possibilidade de transformação social consistente e efetiva, pois, nos eixos em que o Estado tem a obrigação de agir, o ISP pode servir como norteador para viabilizar estratégias, pesquisas e projetos que auxiliem tanto as entidades quanto as empresas, chegando até ao envolvimento com a implementação de políticas públicas específicas”, explica a advogada Marcella Souza, coordenadora do Departamento de Assuntos Culturais e Terceiro Setor da Andersen Ballão Advocacia (ABA).

Entenda a diferença entre ISP e medidas assistencialistas

É comum que reações de solidariedade sejam mais fortes após tragédias ou outras situações de emergência social, ou como resposta a pedidos de doação por agentes isolados. Essas ações pontuais de apoio social diferem do ISP, que envolve ações planejadas e coordenadas a partir de um contexto focado na sustentabilidade e avaliação de resultados e impactos, e não necessariamente numa situação de urgência.

“São planejamentos que envolvem a elaboração de metas, projeções, controle e monitoramento das atividades, prestação de contas, continuidade de ações, e, principalmente, o alinhamento de valores específicos com a empresa que está investindo no projeto. Esse, por sua vez, precisa ser bem elaborado, claro e plausível para ser ‘elegível’ a um investimento social privado”, esclarece a profissional, que tem mais de uma década de experiência na coordenação desse tipo de projeto.

Como sua empresa pode investir em ISP?

A orientação para empresas que desejam apoiar causas de longo prazo é, em primeiro lugar, buscar entidades idôneas, com toda a documentação em dia, que apresentem um projeto consistente e com potencial sustentável. “Entre os fatores a serem observados estão o impacto territorial e comunitário que o ISP traz no local onde está inserido, o alinhamento de valores aos da empresa e a credibilidade das pessoas envolvidas”, destaca Marcella.

Sobretudo, ela indica realizar o acompanhamento administrativo e jurídico de todo o processo com equipe especializada na área social e terceiro setor.

Saiba como investir no terceiro setor com nossa área especializada.

Matérias Relacionadas

Fórum Global e Crise no Rio Grande do Sul evidenciam…

Especialistas Reforçam Importância da Ação Coletiva e da Filantropia na Adaptação às Mudanças Climáticas. O F20 Climate Solutions Forum (CSF) 2024 reuniu líderes globais para…

Leia mais

Inteligência Artificial no Trabalho: O Equilíbrio Sutil entre Inovação e…

Limites Éticos e Jurídicos da Utilização de Inteligência Artificial pelos Empregados. Nos últimos anos, a ascensão da Inteligência Artificial (IA) tem transformado significativamente diversos aspectos…

Leia mais

Inovação Jurídica no IDD Summit 2024

Advogados da ABA palestraram sobre restituição de créditos vinculados ao investimento em inovação tecnológica e a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). A Andersen…

Leia mais