Artigos e Publicações

Investimento Social Privado amplia atuação de responsabilidade social das empresas

Investimento Social Privado amplia atuação de responsabilidade social das empresas

Publicado em 02/09/2022

Num país de dimensões continentais e inúmeros desafios para o pleno desenvolvimento, é grande a necessidade de apoio para a viabilização de políticas públicas estatais. Ao mesmo tempo, já é sabido que a responsabilidade social das empresas é uma necessidade. Esse processo tem sido acelerado por meio dos Investimentos Sociais Privados (ISP), iniciativas com potencial de agilizar e dar segurança jurídica à atuação social, no contexto das medidas ESG das empresas (ambientais, sociais e de governança). As áreas mais usuais para sua efetivação incluem Cidades Sustentáveis, Equidade Racial, Mudanças Climáticas, Água, Gestão Pública, Direitos das Mulheres, Migrações e Refugiados e Segurança Pública.

“Estamos falando de uma possibilidade de transformação social consistente e efetiva, pois, nos eixos em que o Estado tem a obrigação de agir, o ISP pode servir como norteador para viabilizar estratégias, pesquisas e projetos que auxiliem tanto as entidades quanto as empresas, chegando até ao envolvimento com a implementação de políticas públicas específicas”, explica a advogada Marcella Souza, coordenadora do Departamento de Assuntos Culturais e Terceiro Setor da Andersen Ballão Advocacia (ABA).

Entenda a diferença entre ISP e medidas assistencialistas

É comum que reações de solidariedade sejam mais fortes após tragédias ou outras situações de emergência social, ou como resposta a pedidos de doação por agentes isolados. Essas ações pontuais de apoio social diferem do ISP, que envolve ações planejadas e coordenadas a partir de um contexto focado na sustentabilidade e avaliação de resultados e impactos, e não necessariamente numa situação de urgência.

“São planejamentos que envolvem a elaboração de metas, projeções, controle e monitoramento das atividades, prestação de contas, continuidade de ações, e, principalmente, o alinhamento de valores específicos com a empresa que está investindo no projeto. Esse, por sua vez, precisa ser bem elaborado, claro e plausível para ser ‘elegível’ a um investimento social privado”, esclarece a profissional, que tem mais de uma década de experiência na coordenação desse tipo de projeto.

Como sua empresa pode investir em ISP?

A orientação para empresas que desejam apoiar causas de longo prazo é, em primeiro lugar, buscar entidades idôneas, com toda a documentação em dia, que apresentem um projeto consistente e com potencial sustentável. “Entre os fatores a serem observados estão o impacto territorial e comunitário que o ISP traz no local onde está inserido, o alinhamento de valores aos da empresa e a credibilidade das pessoas envolvidas”, destaca Marcella.

Sobretudo, ela indica realizar o acompanhamento administrativo e jurídico de todo o processo com equipe especializada na área social e terceiro setor.

Saiba como investir no terceiro setor com nossa área especializada.

Matérias Relacionadas

Ombudsman da ABA quer dar ainda mais agilidade ao trabalho…

A ideia da atuação do ombudsman é fazer a ponte entre o advogado e o cliente quando necessário Objetivando um atendimento ainda mais personalizado e…

Leia mais

O que muda com a nova Lei sobre tributação de…

Advogado tributarista destaca que é essencial manter toda a documentação suporte, como  extratos bancários e balanços das empresas no exterior, para eventual apresentação à Receita…

Leia mais

A responsabilidade do empregador sobre atos do empregado

Apesar de ocorrer a responsabilização do empregador por ato do empregado, é possível que o empregador busque o ressarcimento por eventuais prejuízos causados pelo empregado…

Leia mais