Artigos e Publicações

A fixação de astreintes para terceiro que não integra relação processual

Publicado em 8 de janeiro de 2020

Segundo Rudolf von Ihering: “A justiça tem numa das mãos a balança em que pesa o direito, e na outra a espada de que se serve para o defender. A espada sem a balança é a força brutal, a balança sem a espada é a impotência do direito.”

A fixação de astreintes (medida coercitiva, geralmente consistente em uma multa diária fixada pelo juiz) possui como objetivo forçar o destinatário a cumprir com a obrigação específica determinada pelo Juízo. Referida sanção vem positivada no art. 461 §4º do CPC e foi instituída para dar maior efetividade ao processo. Embora o art. 461 direcione a imposição da multa ao réu, a interpretação a ser dada é a que permite a imposição da referida multa a terceiro como forma de garantir a efetividade da tutela jurisdicional.

Nesse sentido inclusive, relevante lembrar que o artigo supracitado igualmente prescreve expressamente a imposição de multa diária mas, nem por isso, se veda a aplicação de multa semanal, mensal –  enfim, em período diverso do diário previsto em lei. Pelo contrário, o entendimento pacífico é no sentido de que é facultado ao Juiz mudar a periodicidade da multa de acordo com o caso concreto.

Em outras palavras, a interpretação do supracitado artigo não pode ser literal mas, sim, realizada em consonância com a finalidade da norma que possibilita ao Juiz tomar medidas necessárias para dar maior efetividade aos comandos judiciais proferidos, podendo, inclusive, direcioná-la a terceiro que não integra a lide, caso a efetividade da decisão dependa dele. Nesse sentido:

“Ora, se a norma visa proporcionar o cumprimento da tutela específica e se, no caso concreto, o adimplemento depende da conduta de um terceiro estranho ao processo, é a esse terceiro que deve ser imposta a multa, pois do contrário o terceiro não se sentirá pressionado e poderá não cumprir a determinação, sem sofrer por isso qualquer sanção.”[1]

É o caso, por exemplo, de uma ação judicial movida contra determinada pessoa que está a difamar uma empresa ou uma pessoa nas redes sociais. Objetiva-se que referida pessoa (parte no processo) cesse tal comportamento ilícito e que as postagens sejam excluídas. Se a parte não cumpre a ordem judicial de exclusão das postagens, a multa diária certamente será aplicada a ela. Caso, ainda assim, a parte resista, o Juiz pode, para dar maior efetividade ao comando, direcionar a ordem aos domínios (Facebook, Google) ainda que não sejam partes no processo. Caso os domínios resistam ao cumprimento da ordem, ainda o Juiz poderá fixar-lhes astreintes.

O descumprimento de referida ordem, mesmo por terceiro, igualmente configura ato atentatório à dignidade do Poder Judiciário, possibilitando a fixação de multa diária também com fundamento no art. 14, V, parágrafo único, do CPC.

Logo, não se trata de querer responsabilizar terceiros que não integram a relação processual, mas de possibilitar a fixação pelo juiz de astreintes à terceiro para forçá-lo a obedecer a um comando judicial e dar dessa forma efetividade a tutela obtida judicialmente.

 

** Letícia Martins de França é advogada, Bacharel em Direito pela UniCuritiba e Pós-Graduada em Direito Aduaneiro, também pela UniCuritiba. Ele é integrante do Departamento Contencioso da Andersen Ballão Advocacia desde 2013.

[1] CORTEZ, Claudia Helena Poggio. O Alcance Subjetivo da Multa Coercitiva do Art. 461, §4º, CPC.  1Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Mestranda em Direito Processual Civil pela PUC/SP. Advogada. Disponível em <http://intertemas.unitoledo.br/revista/index.php/INTERTEMAS/article/viewFile/2774/2555> Acesso em 10.12.2013

Artigos Relacionados

É possível alterar o índice de correção monetária…

O índice mais comum para reajuste de preços de contratos de locação, o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), teve alta expressiva no ano…

Leia mais

Entenda o que mudou na Recuperação Judicial e…

A Lei 14.118, de 24 de dezembro de 2020, que entrou em vigor em 23.01.2021, alterou alguns pontos relevantes da Lei de Recuperação Judicial e…

Leia mais

Notas sobre Quotas Preferenciais sem Direito a Voto…

Em 10 de junho desse ano, o Departamento de Registro Empresarial e Integração (DREI) emitiu a Instrução Normativa nº 81/2020 consolidando diversos pontos muito discutidos…

Leia mais