Artigos e Publicações

Desoneração da folha de pagamento é prorrogada para 17 setores até 2023

Desoneração da folha de pagamento é prorrogada para 17 setores até 2023

Publicado em 16/12/2021

Continuidade do benefício, que venceria agora em dezembro, deve receber a sanção presidencial

 

O fim de ano trouxe um alívio para empresários de 17 setores da economia, favorecidos com a prorrogação da desoneração da folha de pagamento. O benefício, concedido no governo Dilma Rousseff, tinha validade até 2020 e havia sido prorrogado até o fim de 2021. Agora, valerá até 2023.

Nos moldes da Lei nº 12.564/2011, a desoneração da folha possibilita às empresas beneficiadas calcular a Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta, ao invés da Folha de Pagamentos.

“Em linhas gerais, a opção pela Contribuição sobre a Receita Bruta reduz a carga tributária dos contribuintes que possuem alto custo com mão-de-obra. Nesse sentido, as empresas que mais empregam são beneficiadas, resultando em um potencial maior de manutenção de empregos”, explica o advogado Amauri Melo, do Departamento Tributário da Andersen Ballão Advocacia (ABA). A medida vem num momento em que o desemprego atinge 13% da população.

Por outro lado, a regra traz questionamentos referentes à isonomia econômica. “Num modelo ideal de tributação, os contribuintes deveriam ser tratados de forma isonômica, pois benefícios fiscais a setores específicos do mercado causam desequilíbrio no longo prazo”, aponta o advogado.

Pensando no aquecimento da economia, uma reforma estrutural que simplificasse o sistema e acabasse com a regressividade da tributação favoreceria muito mais a economia brasileira, na opinião do especialista. “Alterações pontuais em alguns segmentos não nos permitem enfrentar o problema de forma ampla e definitiva”, lamenta.

Matérias Relacionadas

Empresas devem atentar às mudanças de alíquota do IPI

Empresas devem atentar às mudanças de alíquota do IPI

Atualização dos softwares tributários precisou ser feita de forma emergencial   Com a publicação em fevereiro, pelo governo federal, do Decreto nº 10.979/2022, foram reduzidas…

Leia mais
Lei Complementar sobre diferencial de alíquotas do ICMS traz insegurança jurídica a contribuintes

Lei Complementar sobre diferencial de alíquotas do ICMS traz insegurança…

Planejamento tributário do ano deve levar em consideração mudanças na lei, apesar da discussão ainda em andamento Não é de hoje que a cobrança do…

Leia mais
Atraso na Reforma do IR traz insegurança jurídica aos contribuintes

Atraso na Reforma do IR traz insegurança jurídica aos contribuintes

Planejamento tributário de 2022 pode ser baseado na situação atual, porém com atenção às possibilidades de mudança   A demora na tramitação da reforma do…

Leia mais