Artigos e Publicações

Medidas tributárias emergenciais buscam alívio para empresas durante a crise

Medidas tributárias emergenciais buscam alívio para empresas durante a crise

Publicado em 08/06/2020

Conheça algumas das medidas já divulgadas pelos fiscos federal, estadual e municipais, enquanto contribuintes seguem aguardando novas publicações

Apesar de algumas medidas de alívio tributário anunciadas pelo governo para reduzir os prejuízos das empresas durante a crise ainda aguardarem a edição das respectivas normas, aquelas editadas e já em vigor até agora são relevantes e permitem que as empresas façam ajustes e planejamentos considerando a nova realidade econômica decorrente da pandemia.

Os primeiros anúncios emergenciais para conter os prejuízos da crise foram divulgados no dia 16 de março, e  gradativamente regulamentados. Entre as medidas estão a postergação do depósito do FGTS pelo prazo de três meses; o diferimento do recolhimento dos tributos federais incluídos no Simples Nacional pelo mesmo prazo, assim como a postergação da entrega das obrigações acessórias; e a redução da alíquota do Imposto de Importação (II) e Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente sobre produtos hospitalares e produtos destinados ao combate da propagação da COVID-19.

Além disso, em 31 de março foi publicada a MP 932, concedendo a tão esperada redução de 50% no recolhimento das contribuições ao “Sistema S” durante o prazo de três meses, alteração, até o momento, de maior relevância para os contribuintes.

“São medidas que devem ser analisadas caso a caso, de modo a verificar a possibilidade de utilização a depender da atividade econômica e regime de tributação de cada sociedade”, alerta o sócio-coordenador do Departamento Tributário, Marcelo Diniz Barbosa. O Departamento Tributário da Andersen Ballão Advocacia está envolvido com as atualizações, acompanhando cada novo anúncio do governo. “Foram adotadas também medidas de suspensão de atos de cobrança e facilitação da renegociação de dívidas em razão da pandemia”, comenta Diniz.

Na prática, a Procuradoria da Fazenda Nacional foi autorizada a suspender, por 90 dias, os prazos para os contribuintes apresentarem impugnações administrativas no âmbito dos procedimentos administrativos em geral (cobranças administrativas, inscrições em dívida ativa, protestos e exclusões de parcelamentos em atraso).

Também há condições facilitadas para renegociação de inscrições em dívida ativa, incluindo a redução da entrada para até 1% do valor da dívida e diferimento de pagamentos das demais parcelas.

Outras medidas adotadas no âmbito federal foram a renovação automática de certidões de regularidade fiscal e a suspensão de prazos administrativos.

Medidas do Paraná

Estados e municípios também publicaram medidas com o intuito de auxiliar as sociedades durante a pandemia.

O estado do Paraná suspendeu prazos administrativos, retirou a água mineral do regime de substituição tributária, isentou o ICMS nas doações efetuadas por empresas a entidades governamentais, assim como prorrogou os prazos para pagamento do ICMS-ST e DIFAL devidos pelos contribuintes do Simples Nacional.

Barbara das Neves, advogada do Departamento Tributário da ABA, destaca que o Paraná já anunciou outras iniciativas ainda pendentes de regulamentação, como a prorrogação do ICMS próprio das empresas do SIMPLES, ajustes nas margens dos valores agregados utilizadas para o cálculo do ICMS-ST, prorrogação de certidões de regularidade fiscal e incentivos fiscais, entre outros.

“As medidas objetivam a simplificação e apoio a todo o setor produtivo paranaense diante das dificuldades econômicas impostas aos diferentes segmentos durante a pandemia e, caso efetivamente implementadas, serão excelentes por abarcarem todas as sociedades paranaenses, independentemente da capacidade econômica individual”, aponta Barbara.

Em relação aos municípios paranaenses, a prefeitura de Maringá, por meio do Decreto n.º 465/2020, prorrogou, pelo prazo de seis meses, o pagamento dos impostos municipais devidos pelo enquadramento do Simples Nacional e Microempreendedores Individuais. Já a Prefeitura de Curitiba suspendeu prazos processuais e prorrogou as certidões de regularidade fiscal dos seus contribuintes.

O teor completo das medidas está disponível para consulta no site do escritório. Para dúvidas, o grupo de trabalho do Departamento Tributário pode ser contactado pelo e-mail CriseCOVID19TAX@andersenballao.com.br.

 

Comunicação Andersen Ballão Advocacia

Matérias Relacionadas

Empresas devem atentar às mudanças de alíquota do IPI

Empresas devem atentar às mudanças de alíquota do IPI

Atualização dos softwares tributários precisou ser feita de forma emergencial   Com a publicação em fevereiro, pelo governo federal, do Decreto nº 10.979/2022, foram reduzidas…

Leia mais
Lei Complementar sobre diferencial de alíquotas do ICMS traz insegurança jurídica a contribuintes

Lei Complementar sobre diferencial de alíquotas do ICMS traz insegurança…

Planejamento tributário do ano deve levar em consideração mudanças na lei, apesar da discussão ainda em andamento Não é de hoje que a cobrança do…

Leia mais
Desoneração da folha de pagamento é prorrogada para 17 setores até 2023

Desoneração da folha de pagamento é prorrogada para 17 setores…

Continuidade do benefício, que venceria agora em dezembro, deve receber a sanção presidencial   O fim de ano trouxe um alívio para empresários de 17…

Leia mais