Artigos e Publicações

Negociações coletivas exigem expertise de advogados em setores estratégicos

Negociações coletivas exigem expertise de advogados em setores estratégicos

Publicado em 29/11/2021

Andersen Ballão Advocacia provê a seus clientes o trabalho de um time especialista nas técnicas de relacionamento sindical

 

Entre os inúmeros serviços prestados por um escritório de advocacia, alguns se tornam uma expertise estratégica. É o caso das negociações coletivas na Andersen Ballão Advocacia (ABA), um trabalho que exige não apenas conhecimentos técnicos, mas também a prática do relacionamento sindical.

No caso do Porto de Paranaguá, o trabalho já soma 10 anos de muitos resultados. Outros setores que contam com a experiência da ABA incluem o automotivo, máquinas e metalurgia em geral, tecnologia da informação, prestação de serviços, óleo e gás, serviços offshore, entre outros.

“Atendemos empresas e sindicatos patronais, seja por demandas iniciadas pelos trabalhadores, por meio de seus sindicatos, ou pelas próprias empresas”, pontua o advogado Vicente Ferrari Comazzi, sócio-coordenador do Departamento Trabalhista da ABA. A equipe especialista conta ainda com o advogado Enrico Nichetti, também coordenador do departamento, e de outros colegas hábeis na prática da atividade.

Após a etapa inicial, segue-se a primeira rodada de negociações, que podem ser virtuais ou presenciais. “Elas culminam em uma proposta construída com base nos interesses comuns, pela qual busca-se um bom termo para todos.” A expertise em negociação coletiva inclui saber ouvir os sindicatos e a empresa empregadora, fazendo uma ponte entre as partes da melhor forma.

Depois, os sindicatos levam a proposta a seus associados ou categorias representadas, para aprovação dos termos em assembleia. Existe então a possibilidade de se formar um instrumento coletivo, seja ele um acordo (entre uma empresa e o sindicato) ou convenção (entre sindicatos patronais e trabalhadores, que vale para toda a gama de empresas representadas).

Uma vez aprovado, é hora de acompanhar a implementação do que foi pactuado. Entre os desafios do trabalho, está a negociação em caso de greve, quando é necessário atuar a partir de práticas contenciosas.

“Buscamos a melhor solução e estratégia para que o cliente tenha o resultado que espera, em clima de conciliação e que sirva a todos. Isso exige muita paciência e capacidade de negociação junto ao cliente para demonstrar a melhor saída e junto ao sindicato e aos trabalhadores da categoria”, explica o advogado.

Como fazer a gestão de crise em negociações

Quando as tratativas esquentam e é preciso acalmar os ânimos para desenhar estratégias em momento de crise – tais como greves, paralisações pontuais, bloqueios de fábrica – mais do que nunca os advogados necessitam de técnicas de negociação.

“É uma grande satisfação ajudar a trazer a melhor solução a todos, pois não estamos discutindo a vida de uma única pessoa, e sim de milhares de famílias e de setores da economia imprescindíveis para a nação”, finaliza o advogado.

Comunicação ANDERSEN BALLÃO ADVOCACIA

Matérias Relacionadas

Métodos alternativos de resolução de conflito estão no DNA da Andersen Ballão Advocacia

Métodos alternativos de resolução de conflito estão no DNA da…

Negociação, conciliação, mediação e arbitragem são especialidades da banca e prática dos advogados da casa   O Brasil é o quarto país em número de…

Leia mais
Setor agrícola bate recordes de produção e alcança 30% do PIB brasileiro

Setor agrícola bate recordes de produção e alcança 30% do…

Serviços do escritório para o segmento incluem consultoria, contencioso e arbitragem, regulação e compliance   Apesar da crise econômica internacional, o agronegócio segue batendo recordes…

Leia mais
Atendimento full service em diversas regiões do país marca serviço da ABA no setor de óleo e gás

Atendimento full service em diversas regiões do país marca serviço…

Questões contratuais e trabalhistas são algumas das demandas atendidas pelo escritório, além de regulações ambientais, consultas em geral, entre outras   Basta acompanhar o noticiário…

Leia mais